Todos têm potencial inexplorado

Sou um parágrafo. Clique aqui para me editar e adicionar seu texto. É fácil! Basta clicar em "Editar Texto" ou clicar duas vezes sobre mim e você poderá adicionar seu conteúdo e trocar fontes. Você pode arrastar e soltar-me em qualquer lugar de sua página. Sou um ótimo lugar para contar sua história e permitir que seus visitantes saibam um pouco mais sobre você.

O DIAGNÓSTICO DA PEA

Não existindo nenhum marcador biológico específico, a PEA é identificada através de comportamentos clinicamente observáveis. As características do autismo estão descritas em sistemas internacionais de diagnóstico e classificação: o DSM-5 da Associação Americana de Psiquiatria e o ICD 10 da Organização Mundial de Saúde. 

PERTURBAÇÃO DO ESPETRO DO AUTISMO (PEA)

Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) «é um síndroma neuro-comportamental com origem em perturbações do sistema nervoso central que afeta o normal desenvolvimento da criança. Os sintomas ocorrem nos primeiros três anos de vida e incluem três domínios de perturbação: social, comportamental e comunicacional»  (American Psychiatric Association, 2013).

A PEA é uma das mais graves perturbações de desenvolvimento da criança, que resulta numa incapacidade que se prolonga durante toda a vida.

CARACTERÍSTICAS DA PEA 

Associada a dificuldades em utilizar a imaginação, em aceitar alterações de rotinas, a um défice de atenção e concentração, à exibição de comportamentos estereotipados e a um modo de aprender particular, a PEA caracteriza-se por dificuldades em compreender e responder de forma adequada às diferentes situações do meio ambiente, seleccionar e processar informação pertinente, bem como, responder a estÍmulos sensoriais.

 A INTERVENÇÃO NA PEA

intervenção na comunicação e linguagem são de extrema importância nas crianças com PEA, uma vez que o desenvolvimento destas capacidades são os preditores mais fortes na evolução da perturbação. Uma linguagem muito limitada, por volta dos cinco anos de idade, constitui um forte indicador de grave incapacidade na idade adulta ao nível das capacidades de comunicação e linguagem, e consequentemente de relação. Desta forma, a intervenção com o objetivo de desenvolver uma comunicação funcional é prioritária na educação das crianças com PEA.

A COMUNICAÇÃO

A solidão, o isolamento social, as limitações nas aprendizagens são alguns exemplos do que podemos observar, quer em crianças quer em adultos, com dificuldades em expressar-se através da fala. Nestes casos, é imprescindível o recurso a outras formas de comunicar utilizando um sistema aumentativoalternativo de comunicação (SAAC). Estes sistemas dão oportunidade aos indivíduos de participar na sociedade em igualdade de direitos e oportunidades.

O PAPEL DO TERAPEUTA DA FALA

O Terapeuta da Fala é o profissional habilitado na avaliação e intervenção da comunicação humana. Desempenha um papel preponderante na avaliação, diagnóstico e intervenção da pessoa com PEA e no acompanhamento da sua família. Promove o desenvolvimento da comunicação e das competências sociais, da compreensão e expressão da linguagem, da leitura e da escrita, da diversificação alimentar e da adequação do comportamento;

POSTAIS DE DIVULGAÇÃO 

NO NASCIMENTO

NA IDADE PRÉ-ESCOLAR

NA IDADE ESCOLAR

NA ADOLESCÊNCIA

NA IDADE ADULTA

NA SUA PROFISSÃO

linguagemoral

 

 

fala

fluência

 

voz

 

 

mastigação